7 DICAS INFALÍVEIS QUE NÃO PODEM SER DEIXADAS DE LADO NA ESCOLHA DA PRÓTESE IDEAL

Tempo de leitura: 17 minutos

            Maria chega ao consultório médico com a foto de sua amiga de biquíni no Facebook e diz ao cirurgião plástico: “Minha amiga Ritinha colocou próteses de 285ml e eu gostei muito do resultado. Eu quero colocar as mesmas próteses dela”.

 

Sim, isso é muito comum. É normal que as pessoas que não conhecem muito sobre o assunto se atenham apenas ao volume das próteses mamárias de silicone. Mas elas não sabem que há diversos fatores que precisam ser levados em conta para a escolha da prótese ideal para cada uma.

A escolha das próteses deve ser realizada de forma totalmente individual. Sim, a prótese de Ritinha pode não ter o mesmo efeito em Maria, mesmo se tratando de próteses do mesmo volume e absolutamente iguais.

E é sobre isso o assunto de nosso post de hoje. Vou elucidar os aspectos mais importantes que devem ser levados em consideração para a escolha da prótese de silicone ideal para cada paciente.

Ah! E não vale trazer fotos de Facebook ou de Google em que as pacientes estejam usando biquínis ou soutiens. Como todas nós sabemos, esses utensílios podem alterar completamente o tamanho e formato das mamas de qualquer pessoa! Há fotos de mamas totalmente grandes, redondas e empinadas que nunca existiriam na realidade, sem a ajuda desses pequenos truques.

 

Primeiro, vou fazer uma legenda sobre os principais tipos de próteses que você poderá consultar posteriormente durante o texto, para perceber as principais diferenças entre elas:

 

 

  • FORMATO DAS PRÓTESES

São as possíveis formas que as próteses podem possuir. Redonda, Anatômica, Cônica

 

 

 

  • PERFIL DAS PRÓTESE

São as alturas que as próteses podem tem. Elas diferem entre as medidas do diâmetro da base e da projeção.

 

 

 

 

  • TEXTURA DAS PRÓTESES

São as texturas dos envoltórios das próteses. Antigamente, eram utilizadas as próteses lisas. Mas, devido a diversas complicações que poderiam causar, foram retiradas do Mercado. Hoje, possuímos basicamente dois tipos de texturas: próteses texturizadas ou de poliuretano.

 

 

 

 

 

1 – O DESEJO DE CADA PACIENTE PELA PRÓTESE DE SILICONE PERFEITA

Cada paciente tem uma personalidade, um desejo e um sonho. Costumo dizer que há uma fórmula mágica que utilizo no consultório que é:

 

                   CONSULTA MÉDICA = DESEJOS DO PACIENTE + EXPERIÊNCIA DO CIRURGIÃO PLÁSTICO

 

A consulta médica, especialmente para a escolha da prótese de silicone ideal, deve ser longa e calma o suficiente para traçarmos o perfil de cada mulher. Precisaremos definir qual o desejo dela, o que ela acha bonito e a possibilidade de o atingirmos. Nem sempre isso é possível, por isso é tão importante a consulta médica para que a paciente e o cirurgião plástico possam “falar a mesma língua” e visualizarem o mesmo resultado. De uma forma clara, precisamos explicar aos pacientes as possibilidades, formas de alcançarmos e riscos que poderão estar presentes em qualquer cirurgia.

http://www.marladeaguiar.com.br/o-que-perguntar-na-consulta-medica/

      A PRÓTESE DE SILICONE IDEAL PARA PACIENTES MAIS DISCRETAS

 

 

São pacientes que não desejam grandes transformações. Muitas não querem nem mudar o número do soutien, desejam apenas preenche-los, deixando o colo um pouco mais marcado. Algumas não querem nem que outras pessoas ou seus próprios familiares percebam que elas realizaram a cirurgia. Para elas, as melhores opções são as próteses de menores volumes ou de perfis mais baixos. Atualmente, o volume das próteses para essas pacientes variam de 175cc a 240cc.

 

 

        A PRÓTESE IDEAL PARA AS PACIENTES QUE QUEREM MAIORES TRANSFORMAÇÕES

Elas geralmente já sofreram muito devido à “falta de mamas”. Já utilizaram 2 ou 3 soutiens sobrepostos e até já colocaram meias e outros enchimentos para parecerem com mamas maiores. Já chegam determinadas e solicitando grandes transformações.

Mas um fator muito importante a ser analisado é a qualidade da pele que possuem e se já há ou não algum grau de sobra de pele. Grandes volumes poderão estirar muito a pele causando estrias posteriormente, apesar de todos os cuidados com hidratações específicas para as mamas que passamos tanto no pré quanto no pós-operatório. Para tudo há limites! Os volumes mais solicitados por essas pacientes variam de 280 a 450cc, dependendo da pele de cada uma.

Para elas, indicamos próteses de maiores volumes. Para que as próteses possam ficar mais marcadas definindo melhor o colo, poderemos optar pelas próteses de maiores projeções.

 

 

 

 2 – A ALTURA E O PESO PODEM INTERFERIR NA ESCOLHA DA PRÓTESE IDEAL?

 

      A resposta é: SIM!

 

Todas as próteses ficarão localizadas no espaço abaixo da pele, do tecido celular subcutâneo, da gordura e da glândula mamária. Além desses tecidos, também poderá ficar embaixo da musculatura peitoral em alguns casos.

O tecido celular subcutâneo e a gordura variam muito e aumentam conforme o peso. Eles se comportam como um “cobertor” que passa por cima das próteses, modificando a forma como elas aparecem.

 

 

 

     QUAL A PRÓTESE IDEAL PARA PACIENTES ACIMA DO PESO?

 

Também dependerá do que as pacientes acham bonito e desejam para si. Mas elas precisam saber é que há algumas limitações e nem sempre o resultado tão sonhado poderá ser alcançado. Por exemplo, há pacientes que estão acima do peso mas que gostariam de próteses bem marcadas, com formato de “bolinhas” mesmo. Infelizmente isso não é possível, pois quanto mais gordinha a paciente, maior serão os tecidos que cobrirão as próteses. É o mesmo que cobrirmos as próteses com uma coberta bem grossa, os contornos dela ficarão escondidos e a prótese não ficará marcada. Ao contrário de uma paciente magra, seria como cobrirmos a prótese com um lençol mais fino; os contornos dessa prótese ficarão mais facilmente visíveis (o que deixa a prótese com aspecto mais “marcado”).

Pacientes acima do peso também costumam já ter uma quantidade de mamas. Essas mamas já existentes se somarão ao volume das próteses. Portanto, precisaremos definir o volume que elas querem sempre levando em conta as mamas que elas já tem.

 

 

QUAL A PRÓTESE IDEAL PARA AS “MAGRINHAS” ?

Para as magrinhas, precisaremos tomar o cuidado inverso. Caso não queiram próteses muito “marcadas”, precisaremos também analisar as próteses com perfil mais baixo ou de menores volumes.

Também precisaremos verificar a quantidade de mamas que elas já possuem. Caso tenham pouquíssimo volume mamário, para prevenir próteses muito marcadas ou visíveis através da pele (o que chamamos de “rippling”), deveremos optar por próteses com revestimento de Poliuretano ou localizadas no plano submuscular (embaixo do músculo peitoral).

 

 

 

       PACIENTES ALTAS E BAIXAS TAMBÉM TEM PRÓTESES IDEAIS?

 

Mais uma vez: SIM!

 

É comum vocês já terem ouvido: “Aninha colocou uma prótese de 300ml que desapareceu nela pois ela é muito alta”. E isso é verdade!

Pacientes mais altas costumam ser mais longilíneas, possuem um tórax mais comprido. Para elas, precisaremos pensar em próteses de maiores volumes para que possam preencher o espaço necessário e se tornarem mais aparentes.

Já as pacientes de menores estaturas são, geralmente, mais brevilíneas, com um tórax mais curto e estreito. Pequenos volumes de próteses nelas poderão causar grandes mudanças.

 

 

 

 3 – QUAL A PRÓTESE IDEAL PARA OS DIFERENTES FORMATOS DE TÓRAX?

 

O formato do tórax pode ter relação com a altura das pacientes. Geralmente, pacientes mais altas tem o tórax mais longo e largo e pacientes mais baixas o possuem mais estreito e curto. Mas, nem sempre é assim. Essa teoria pode se inverter. Por isso, a importância de uma consulta médica bastante detalhada para analisar todas essas informações através do exame físico.

 

 

 

AS PRÓTESES IDEAIS PARA TÓRAX CURTOS E ESTREITOS

 

Pequenos volumes de próteses já conseguiram preencher o espaço das mamas. Caso as pacientes queiram volumes mais discretos, deveremos pensar nas menores próteses.

 

 

 

 

Outro fator muito importante é a distância entre as mamas, tórax muito estreitos possuem bases mamárias menores. Caso as pacientes optem por próteses de maiores volumes, precisaremos analisar as próteses de maiores projeções, que tem os diâmetros das bases menores. Isso é importantíssimo para que não ocorra o que chamamos SIMASTIA.

SIMASTIA quer dizer “uma mama só”. Ocorre quando perdemos os contornos que delimitam uma mama da outra. Por isso, as bases das próteses não podem ser grandes o suficiente para se “encostarem” na porção medial do tórax.

 

AS PRÓTESES IDEAIS PARA TÓRAX COMPRIDOS E LARGOS

 

Já para essas pacientes, ficamos mais tranquilos para indicar próteses de maiores volumes. Na verdades, precisaremos pensar em próteses maiores para que as mudanças com a cirurgia possam ser mais visíveis.

Para elas, nossa preocupação agora é “preencher” toda a distância desse tórax mais “espaçoso”. Não devemos indicar próteses com projeções maiores e bases estreitas pois fariam com que as mamas ficassem muito distantes uma das outras.

Esse tipo de formato de tórax fica melhor com próteses de maiores volumes e/ou de perfis mais baixos e, consequentemente, com diâmetros das bases maiores.

 

 

 

4- AS ARÉOLAS PODERÃO INTERFERIR NA ESCOLHA DAS PRÓTESES IDEAIS?

 

As aréolas são as porções redondas, pigmentadas (mais rosadas nas pacientes claras e mais acastanhadas nas morenas e negras). Possuem a papila mamária em seu centro.

Elas são importantíssimas como “guias” da posição perfeita das próteses no tórax. A posição das prótese se baseia nas aréolas e deve estar situada em sua posição central. Há pacientes que pedem para que as prótese sejam colocadas mais juntas, para formar um colo mais marcado. Eu sempre explico que isso não é possível; pois, se fugirmos da posição central das aréolas, elas serão deslocadas para dentro ou para fora do tórax.

Por exemplo, se as próteses forem colocadas mais juntas que as aréolas, o centro das próteses ficará em uma posição e as aréolas serão “jogadas” para fora, gerando um ar de estranheza. Mas, se as aréolas estiverem localizadas em posições incorretas, isso poderá ser corrigido. Porém, será necessário realizar uma cicatriz ao redor ou em uma parte dela.

 

 

AS PRÓTESES IDEAIS PARA ARÉOLAS MAIS JUNTAS

 

O cuidado aqui é para não exagerar no volume das próteses e causar aquela já falada SIMASTIA. Quanto maiores as próteses, maiores serão suas bases, o que fará com que elas possam se “encostar” na porção medial do tórax.

Uma alternativa para pacientes que desejem maiores volumes, é modificarmos o perfil das próteses para as mais projetadas e com bases mais estreitas.

 

 

 

AS PRÓTESES IDEAIS PARA ARÉOLAS MAIS SEPARADAS

 

Para que não fique um “espaço” entre as mamas, teremos duas alternativas para esse caso: próteses de maiores volumes ou próteses com perfil mais baixo. Em ambos os casos, aumentaremos as bases das próteses e conseguiremos um preenchimento maior do espaço torácico.

 

 

 

5- AS PRÓTESES IDEAIS PARA QUEM JÁ TEM PRÓTESES E PENSA EM TROCÁ-LAS?

 

São pacientes já experientes no assunto próteses e que poderão nos ajudar na escolha da prótese ideal. Elas já trazem queixas ou satisfações, sabem dizer o que gostariam que se mantivesse ou fosse alterado nas próteses dessa vez. Nesse momento, é muito importante que as pacientes nos tragam todos os documentos das próteses anteriores para que possamos analisar quais as dimensões, texturas das próteses anteriores e se foram colocados volumes de próteses iguais nas duas mamas ou não.

Com o passar dos anos, é comum ocorrer algumas alterações do tecidos que cobrem as próteses mamárias. A pele costuma se acomodar e se tornar mais fina, especialmente a pele situada na porção inferior das mamas que se alonga, formando o que chamamos “hiperbáscula”. Trata-se de um alongamento desse tecido, o que faz com que as próteses “desçam” e as aréolas olhem ligeiramente “para cima”. Também ocorre uma “compressão” do tecido mamário pelas próteses, fazendo com que eles percam o volume.

       É muito importante que as pacientes entendam as alterações que as próteses causam na mama pois mamas que já tem prótese são muito diferentes daquelas que elas tinham antes do procedimento.

 

 

AS PRÓTESES IDEAIS PARA QUEM DESEJA AUMENTAR DE VOLUME

 

Devido à essas alterações da glândula mamária e principalmente da pele, para que a paciente consiga sentir alterações de volume com a prótese nova, precisaremos pensar em volumes maiores. Em minha vivência diária no consultório médico, percebo que as alterações começam a ser sentidas após aumentarmos 70 a 100cc do volume que elas tinham anteriormente.

Na troca de prótese de mama, os riscos quanto à formação de novas estrias são bem menores pois a pele já sofreu uma acomodação. E o pós-operatório geralmente é bem menos doloroso que a primeira vez que realizou a cirurgia.

 

 

 

AS PRÓTESES IDEAIS PARA QUEM TEVE CONTRATURAS

O histórico de complicações que as pacientes tiveram anteriormente e as queixas são de grande valia nesse momento. Já conhecendo algumas queixas, fica mais fácil previní-las dessa vez.

Todas as próteses foram uma cápsula em torno de si. Na verdade, é o nosso organismo que produz essa cápsula para manter o “corpo estranho” sob seu domínio, dentro de um tecido que o envolve. Uma pequena porcentagem dos organismos formam cápsulas mais grossas que podem se tornar dolorosas e modificar a aparência das prótese, é o que chamamos de CONTRATURA CAPSULAR. É mais comum em prótese que foram colocadas há muitos anos e não foram trocadas.

 

Para pacientes com contraturas capsulares que vieram trocar as próteses tomaremos alguns cuidados especiais:

  • Realizaremos a retirada completa das cápsulas pré-existentes (as cápsulas não precisam ser retiradas em pacientes que não tiveram contraturas).
  • Optaremos por próteses com revestimento de Poliuretano (foi comprovado que próteses com esse revestimento tem menores riscos de contratura capsular)
  • Iniciaremos um tratamento com medicações no pós-operatório que comprovadamente previnem o aparecimento de novas contraturas capsulares.

 

 

 

6- AS PRÓTESES IDEAIS PARA QUEM DESEJA LEVANTAR AS MAMAS

 

Ptoses mamárias são o mesmo de quedas mamárias. É importante que as pacientes saibam que há graus de “quedas” das mamas e que em casos mais avançados, a cirurgia apenas de inclusão de próteses mamárias poderá não ser eficaz. Para elas, precisaremos indicar a mastopexia (com ou sem a inclusão de próteses). Apenas a ptose de graus mais leves poderão ser corrigidas com algumas próteses específicas.

 

 

 

 

     AS PRÓTESES IDEAIS PARA QUEM TEM PTOSES MAMÁRIAS

É importante uma longa conversa com a paciente. Precisaremos optar por volumes maiores que possam preencher o tecido mamário e elevar a posição das aréolas. Porém, nos encontraremos num impasse pois volumes muito grandes acrescentam peso à mama que poderá “cair” mais.

 

     PERFIS DE PRÓTESES IDEAIS PARA ELEVAR AS MAMAS

Prótese de perfis maiores, com alturas mais elevadas tendem a deslocar as aréolas para posições mais altas aliviando a sensação de queda.

 

Outro formato de prótese muito interessante para esses casos são as prótese cônicas. Elas possuem uma altura máxima e mantém uma base mais larga. Elas também são ótimas opções para pacientes que precisam elevar a mama mas não desejam próteses muito “marcadas”.

 

 

 

7- AS PRÓTESES IDEAIS PARA QUEM TEM MAMAS DIFERENTES

São muito comuns após a amamentação. As mães acabam elegendo uma mama que se torna a principal fonte de leite para os seus filhos. Essas mamas poderão se tornar maiores, com maiores sobras de pele e aréolas mais largas. Para esses casos, talvez precisaremos pensar em próteses de volumes diferentes.

Mas mesmo pacientes que nunca amamentaram poderão ter mamas bem diferentes. Na verdade, se analisarmos bem a fundo todas as características das mamas, quase nenhuma irá se salvar. Assim como temos mãos, olhos e pés diferentes, também possuímos mamas diferentes. Precisaremos verificar se essa diferença justifica uma necessidade de próteses diferentes.

Também acho importante que vocês saibam que os fabricantes de próteses se preocupam mais com os formatos que com os volumes, na hora de produzí-las. Primeiro eles pensam nas diferentes dimensões (base e altura) das prótese e, depois, consequentemente, no volume de silicone necessário para preenche-las. Por isso, nas tabelas de volumes de prótese, elas não seguem um padrão de aumento. Poderão variar de 20, 25 ou 30ml entre elas conforme avançamos os volumes. Por isso, precisamos definir se a diferença de volume realmente é suficiente para optarmos por próteses de diferentes volumes, para não corrermos o risco de invertermos a diferença entre as mamas.

Estou deixando um exemplo de uma tabela de próteses para ficar um pouco mais claro.

 

Precisamos pensar em volumes diferentes. Mas, conforme vamos aumentando os volumes, também aumentaremos o diâmetro das bases mamárias. Talvez, precisemos mudar não só o volume, mas também o formato da prótese para conseguirmos atingir a maior simetria possível.

 

 

          E é isso aí, pessoal. Espero ter esclarecido algumas das principais dúvidas de vocês em relação a esse complexo tema: a escolha das próteses de silicone!

         Lembrem-se de falarem tudo o que desejam e temem ao seu cirurgião, só assim poderemos escolher com vocês as próteses ideais. A felicidade de vocês no pós-operatório também é nossa!

 

                                   Abraços a todas!

 

 

Ah, fiquem à vontade para me enviar suas dúvidas:

http://www.marladeaguiar.com.br/fale-conosco/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *